Data de Hoje
21 February 2024
Foto: Reprodução

Retrato falado de casal pode ajudar a localizar Gabrielly

A 1ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), com sede em Feira de Santana, está disponibilizando os retratos falados do casal que teria sido visto em Teresina, no Piauí, com Gabrielly Gomes Santana, de 7 anos, desaparecida desde o dia 21 de janeiro. As peças foram feitas com base na descrição de um caminhoneiro que, ao passar por Feira, foi à polícia e disse ter visto a menina num consultório médico na capital piauiense.

De acordo com o delegado coordenador João Uzzum, os retratos foram confeccionados pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) e, depois de prontos, foram encaminhados à Polícia Civil do Piauí, que passou a utilizá-los com o objetivo de localizar o casal e a garota. As peças, inclusive, foram postadas no site da instituição, mas até o momento ninguém foi localizado naquela região. Segundo Uzzum, além de Teresina, a menina foi vista também em Salvador, Alagoinhas e em Itaberaba, ambas no interior da Bahia.

“Em todas estas cidades mandamos policiais interrogarem as pessoas que teriam visto a menina e levantarem informações no local por onde ela passara”, disse o delegado, mas nada de concreto foi obtido nestes lugares. O delegado montou uma Força-Tarefa, composta de três delegados, cinco investigadores e um escrivão para cuidar exclusivamente do caso. “Por sorte o caminhoneiro do Piauí passou por Feira e viu a foto de Gabrielly, a mesma que teria visto desobedecendo os supostos pais”, destacou Uzzum.

Os retratos não têm 100 por cento de semelhança e, por esse motivo, traz algumas lacunas, especialmente no rosto da mulher.  O retrato dela, por exemplo, está com um grau de 30% de semelhança. Ela é branca, teria 1,71m de altura e o corpo bonito, de acordo com a descrição do caminhoneiro. O homem, por sua vez, é negro, teria 1,75m, teria entre 24 e 26 anos e o corpo malhado. Qualquer pessoa que tenha visto o casal poderá entrar em contado com a polícia por meio do Disque Denúncia 71 3235 – 0000. O sigilo é garantido.