Data de Hoje
16 May 2022

Robô criado por brasilienses monitora gastos suspeitos de deputados

Suspeitas de irregularidades somam R$ 378 mil e motivam 587 denúncias à Câmara dos Deputados. Até o momento, só R$ 3 mil foram devolvidos

Almoços superfaturados, refeições pagas a terceiros, consumo de bebida alcoólica com dinheiro público. Essas são algumas irregularidades cometidas por deputados federais e identificadas pela Robô Rosie, uma ferramenta que rastreia todas as despesas dos parlamentares. Criada por brasilienses em setembro do ano passado, a máquina gerou 587 denúncias de supostas fraudes avaliadas em R$ 378 mil. Porém, um mês após os questionamentos feitos à Casa, apenas R$ 3,2 mil retornaram aos cofres públicos.

Batizado de Operação Serenata do Amor, o projeto surgiu da iniciativa de um grupo de jovens de Brasília. Eles decidiram inventar um robô capaz de avaliar os gastos de parlamentares. Após conseguirem financiamento coletivo, a ideia saiu do papel e Rosie — nome em alusão à faxineira-robô do desenho “Os Jetsons” — começou a funcionar em outubro de 2016.

A máquina coloca as notas fiscais no radar e cruza com bancos de dados para identificar possíveis irregularidades, como explica um dos criadores, Pedro Vilanova. “Com as informações disponíveis no próprio site da Câmara, o robô detecta gastos fora de padrões, como valores muito altos para estabelecimentos, quantidade de refeições superiores ao permitido, consumo de bebida alcoólica ou despesas feitas em locais muito distantes em um intervalo de tempo curto”, diz.

Após quatro meses trabalhando, Rosie apontou 3 mil suspeitas de gastos irregulares. Os jovens responsáveis pelo projeto convocaram, então, centenas de voluntários para avaliar a procedência dos casos. A investigação resultou em um mutirão realizado em janeiro, que gerou 587 denúncias à Câmara dos Deputados. Foram questionados R$ 378 mil usados por 216 parlamentares da Casa.

Facebook Comments