Data de Hoje
31 July 2021
Foto reprodução Bocão News

Rodoviários metropolitanos protestam contra demissão de 2 mil funcionários após metrô

Rodoviários de ônibus que fazem linhas metropolitanas estão reunidos no Centro Administrativo da Bahia (CAB), na manhã desta segunda-feira (2), em protesto contra a demissão de 2 mil funcionários. A perda dos postos de trabalho seria consequência da alteração do último ponto das linhas que ligam Lauro de Freitas a bairros da capital baiana para a Estação Mussurunga. “

Todos os carros de Lauro vão morrer em Mussurunga. Se diminuir quilometragem, diminui a quantidade de ônibus”, explicou Valter Ferreira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Transprote da Região Metropolitana, Alagoinhas e Paulo Afonso (Sindmetro). Com a integração e mudança no final de linha, os atuais 60 ônibus cairão para 10. Segundo Ferreira, a redução dos 50 ônibus retirará o posto de trabalho de cinco pessoas por carro. “Daqui até janeiro temos em média 2 mil demitidos. Fomos pegos de surpresa. Mandei vários ofícios para Governadoria, Casa Civil, Agerba, e em nenhum momento me chamaram pra conversar. Foi feito tudo na madrugada”, criticou o sindicalista.

Segundo Ferreira, cerca de 500 ônibus que rodam na região metropolitana estão parados no CAB desde as 8h da manhã. A intenção é desocupar a região apenas quando a categoria tiver um posicionamento do governo. Os ônibus de Lauro de Freitas que deixarão de rodar pela cidade faziam as linhas Lapa, Barroquinha, Ribeira e Terminal da França. A decisão de limitar o tráfego dessas linhas, segundo o governo do estado, é para ampliar o acesso ao passageiro de ônibus ao metrô e reduzir a circulação de coletivos oriundos da RMS nas principais vias da capital. As mudanças começaram neste domingo (1º). Por outro lado, as linhas que circulam em Salvador pela orla e pela Suburbana não devem sofrer alterações de ponto final.

Facebook Comments