Data de Hoje
13 June 2021

Rodoviários prometem uma das maiores greves da história se patronato não recuar

O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Hélio Ferreira, em reunião com vereadores na manhã desta segunda-feira (16), no Salão Nobre da Câmara Municipal de Salvador, afirmou que se o diálogo com as empresas não for aberto será deflagrada uma das maiores greves da história da categoria. 
 
"Se o patronato não ceder, não vai ter jeito. Pelo sentimento da categoria, será uma das greves mais fortes da história dos rodoviários. Só nós sabemos todas as dificuldades que passamos todos os dias. Jornada de trabalho é fundamental, reajuste salarial, ticket-refeição são pautas emergenciais para a nossa categoria”, afirmou Hélio Ferreira.

 
 
Vereadores da comissão de acompanhamento da campanha salarial dos rodoviários receberam representantes da categoria. Os trabalhadores pediram a intervenção da Casa Legislativa nas negociações com o sindicato patronal e passaram a pauta de reivindicações.
 
O presidente do colegiado temporário, J. Carlos Filho (PT), pediu que os trabalhadores elaborassem uma pauta prioritária, que será levada aos empresários.
 
“Nosso papel é fazer esse intermédio para que o povo não seja prejudicado. Precisamos que o sindicato enumere as prioridades, entre os 27 pontos da pauta, para que possamos sentar com o sindicato patronal”, declarou J. Carlos Filho, que irá tentar um encontro com o os representantes das empresas na tarde da próxima segunda-feira (19).

 
 
Reajuste no salário e no ticket-alimentação, horário de descanso, abertura de mais vagas de emprego para mulheres estão entre os principais pontos reivindicados pela categoria. 
 
“Boataria”
 
O vereador Henrique Carballal também se colocou à disposição para fazer o intermédio e ressaltou a necessidade de acabar com o que chamou de “Central da Boataria”, quando a população começa a especular se os rodoviários irão deflagrar greve, mas não tem informações precisas.
“Isso precisa acabar. Muitas vezes a população sai de casa sem saber se vai ter ou não ônibus para voltar. E os rodoviários se comprometeram em anunciar, com antecedência, que a paralisação vai acontecer e se a greve realmente acontecer”, afirmou Carballal.
 
Projetos para a categoria
 
O vereador Carballal ainda sugeriu que na próxima reunião do Colégio de Líderes fossem catalogados todos os projetos que tramitam na Casa de interesse da categoria. A comissão que acompanha a campanha salarial se comprometeu, ainda, em apresentar em conjunto, um projeto para que as empresas de ônibus sejam obrigadas a contratar uma cota de mulheres, uma das reivindicações que está na pauta da categoria. O vereador Euvaldo Jorge também se colocou à disposição. Lembrou que quando secretario ajudou a colocar alguns banheiros nos pontos para a categoria. “O Executivo e o patronato também tem que participar das negociações. Hoje demos um importante passo”, concluiu. O deputado estadual J. Carlos (PT), que já foi presidente do sindicato dos rodoviários, também participou do encontro.
Facebook Comments