Data de Hoje
14 August 2022
Moradores fizeram protesto na entrada do bairro, em Salvador (Foto: Maiana Belo / G1)

‘Saiu na porta para abrir portão’, diz avô de menina morta durante operação policial

Uma menina de 11 anos, identificada como Giovana Nogueira, morreu após ter sido baleada durante uma operação policial no bairro de Jardim Santo Inácio, em Salvador, na manhã desta quarta-feira (24).

De acordo com a Polícia Militar, agentes da 48ª Companhia Independente (CIPM/Mata Escura) faziam buscas por autores de homicídios na localidade conhecida como “Paz e Vida”, quando foram recebidos a tiros por criminosos.

A PM disse que revidou a ação dos bandidos quando, ao final do confronto, escutou os gritos de um homem pedindo socorro para a garota que foi baleada. A vítima foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Santo Inácio, mas não resistiu ao ferimento.

Em entrevista ao G1, o avô da criança disse que estava chegando em casa e que a neta foi baleada quando estava abrindo a porta para ele entrar. “Eu estava chegando e ela saiu na porta pra abrir o portão. Daí um carro preto se aproximou e policiais sairam atirando. Aí, ela foi baleada”, contou Francisco Carlos Nogueira, de 66 anos.

Familiares contam que a menina foi atingida por um tiro na cabeça. Por conta da morte, moradores realizam um protesto na entrada do bairro de Santo Inácio no final da manhã desta quarta-feira.

Avô diz que neta foi baleada na porta de casa (Foto: Maiana Belo / G1)

Segundo a PM, o caso foi registrado na Corregedoria Geral da corporação e um inquérito será instaurado para esclarecer as circunstâncias do fato, inclusive de onde partiu o disparo que matou a garota. O prazo de conclusão do procedimento é de 40 dias, podendo ser prorrogado por mais 20 dias.

Tristeza

Giovana Nogueira, de 11 anos, se mudou com a mãe para a casa dos avós, no bairro de Jardim Santo Inácio, há cerca de quatro meses. Antes, ela morava com os pais, que estão separados, no bairo de Paripe, no subúrbio de Salvador.

Ao G1, a mãe da vítima falou sobre o desespero. “Foi muito rápido. Meu pai estava chegando umas 7h. Ela saiu de casa e foi baleada. Eles [que estavam no carro e atiraram] saíriam e depois voltaram, pegaram ela e vieram correndo [para UPA]. Eu peguei uma moto e vim em seguida”, contou Maria Ângela de Jesus Nogueira, de 34 anos.

O pai falou emocionado sobre a morte. “Eu catei até lixo para cuidar da minha filha, pra ver ela crescer. Agora eu perdi tudo”, disse Jorge Luiz, que é descarregador de caminhão.

Pai da vítima no bairro de Jardim Santo Inácio, em Salvador (Foto: Maiana Belo / G1)

Por G1
Facebook Comments