Data de Hoje
20 September 2021

Salvador Sustentável debate desenvolvimento da cidade

Projeto, iniciado em 2013, idealizado pelo presidente Paulo Câmara, chegou à sua última edição, na terça-feira (20)

O desenvolvimento das cidades, da economia local e perspectivas para o futuro foram os temas abordados durante o 6º debate do Projeto Salvador Sustentável que promoveu a discussão de assuntos relevantes que afetam a capital baiana e a qualidade de vida dos soteropolitanos. O evento, realizado pela Câmara Municipal, aconteceu na manhã de terça-feira (20), no Centro de Cultura.

Com o tema “O Futuro é Colaborativo e Compartilhado”, o projeto idealizado pelo presidente do Legislativo Municipal, vereador Paulo Câmara (PSDB), contou com a palestra do diretor executivo da Agência Recife para Inovação e Estratégia (Aires), que coordena o Projeto Recife 500 anos, Guilherme Cavalcanti.

Paulo Câmara disse que a sensação no encerramento do projeto é de dever cumprido. “A nossa proposta desde o início foi inserir o debate na cidade. As pessoas falavam em uma cidade sustentável, mais justa, em políticas públicas que passavam por sustentabilidade, mas com poucos debates concretos. Acho que foi um desafio que essa nova Câmara enfrentou, colocamos o assunto em pauta e a cidade nessa rota de discussão. Salvador é uma cidade que nos engrandece por seu passado, mas que são ações concretas do presente que vão decidir nosso futuro”, afirmou.

Debate

Para Guilherme Cavalcanti, Salvador é a cidade mais resiliente do Nordeste e com economia forte e espaço para crescer, tem a expectativa de um futuro promissor. “Antes de tudo existe a cultura de pensar a cidade a longo prazo, que é por definição algo sustentável. Quando você tira o olhar do curto prazo você tem a possibilidade de fazer da maneira correta”, avaliou. Cavalcanti destacou ainda a iniciativa do presidente da Câmara de propor debates sobre desenvolvimento sustentável das cidades.

“A gente tem a mania no Brasil de olhar para a política com foco no Executivo quando, o que sustenta a longo prazo são as Câmaras e Assembleias Legislativas, onde construímos as nossas leis. Então é fundamental que uma liderança no legislativo proponha esse debate. O prefeito tem a função fundamental de lançar bases para o futuro, mas quem assegura esse futuro são os vereadores”, destacou o coordenador do Recife 500.

Responsável pelo Salvador 500, que engloba o Plano Diretor Desenvolvimento Urbano (PDDU) e a Lei de Ordenamento do Uso e da Ocupação do Solo (Louos), o secretário de Urbanismo de Salvador, Sílvio Pinheiro, disse que o Projeto Salvador Sustentável foi muito oportuno neste momento em que a cidade discute seu planejamento urbano a longo prazo. “Isso demonstra o compromisso da Câmara com temas da cidade, sinalizando que está preparada para debatê-los, assumindo seu pragmatismo e seu protagonismo. É mais uma oportunidade do cidadão comum de Salvador debater assuntos que afetam sua vida”, destacou o secretário.

O presidente da Comissão de Planejamento Urbano e Meio Ambiente, vereador Arnando Lessa (PT), elogiou a iniciativa e sugeriu ao presidente Paulo Câmara reunir todas as cinco edições do projeto em um livro. “A cidade precisa começar a botar na prática a sustentabilidade. Vamos iniciar os debates do PDDU e Louos na Câmara e pessoas como Guilherme Cavalcanti vão contribuir muito com sua experiência”, destacou.

Também participaram do evento os vereadores Orlando Palhinha (DEM), Kátia Alves (DEM), Sílvio Humberto (PSB), Leo Prates (DEM) e Geraldo Júnior (SD); o subsecretário da Secretaria da Cidade Sustentável, José Augusto Saraiva; e o comandante da Companhia de Polícia Ambiental, major Nathan Rocha, representando o Comandante Geral da Polícia Militar, coronel Anselmo Brandão

Facebook Comments