Data de Hoje
31 July 2021

São Joaquim ganha passarelas e pista alargada

A expectativa é de que obras sejam concluídas até o final agosto deste ano e tem o valor de R$600 mil

iumv

Foto: Francisco Galvão

Com o objetivo de melhorar o fluxo de veículos na Avenida Engenheiro Oscar Pontes, um dos pontos de trânsito mais complicados da capital baiana, além de aumentar a quantidade de vagas à disposição dos motoristas no local, a Superintendência de Trânsito e Transporte do Salvador (Transalvador) deu início, na manhã de ontem, às intervenções viárias na região. A expectativa é de que obras sejam concluídas até o final agosto deste ano e tem o valor de R$ 600 mil.

Além disso, há a previsão de construção, também no local, de duas passarelas pela Secretaria de Manutenção do município (Seman), o que permitiria a retirada de dois semáforos que ficam em frente à tradicional Feira de São Joaquim. Já a avenida será alargada, passando a ter cinco faixas de tráfego, o canteiro central localizado em frente à feira será retirado e a calçada terá nova pavimentação.

Os pontos de ônibus existentes serão relocados e a avenida terá nova sinalização. Além das 50 vagas de estacionamento já existentes na região, serão criadas mais 68, trinta delas na Travessa Forte da Lagartixa, via que servia de acesso ao terminal do ferry-boat, mas que atualmente está bloqueada. Equipes da Prefeitura estavam ontem pela manhã no local, realizando intervenções que fazem parte desta etapa.

“Vamos fazer, inicialmente, algumas intervenções periféricas, como esta do estacionamento. Mas o principal, que será realizado na Avenida, apenas após o período de São João, até para não prejudicar as vendas dos ambulantes que trabalham no local, já que o fluxo de pessoas e carros por ali aumenta bastante”, contou o superintendente da Transalvador, Fabrizzio Muller. Ambulantes preocupados

No entanto, muitos dos vendedores ambulantes e pessoas que fazem carreto próximo à Feira de São Joaquim estão preocupados com as mudanças e temem possíveis prejuízos. “Eu tenho 42 anos que trabalho aqui e nunca passei essa situação de não saber para onde vamos. Eu, aqui, vendo duas caixas de bananas por dia. Se sairmos daqui, como fica?”, questionou um vendedor que preferiu o anonimato.

“Eu crio sozinha dois filhos com o que vendo aqui. Se deixarmos o local, de onde vou tirar o sustento deles? Infelizmente, nada foi resolvido se vamos nos inscrever em algum programa de ajuda ou se vamos ter barraca em outro lugar”, relatou a vendedora Ana Cristina Bomfim. Trabalhando na feira há mais de 10 anos fazendo carreto, Fabrício dos Santos diz que os colegas estão preocupados. “Teremos bastante prejuízo. E olhe que, no dia-a-dia, a gente não fatura muito”, reclamou.

A equipe da Tribuna da Bahia entrou em contato com a assessoria de comunicação para Secretaria Municipal da Ordem Pública (Semop) para saber o que será feito com os ambulantes que ficam em frente à Feira de São Joaquim durante a execução das obras. Ela contou que os trabalhadores serão relocados para uma área próxima a entrada do ferry boat, após uma solicitação feita pela Transalvador, mas que não devem voltar ao local de origem.

Centro Histórico também terá obras

Desde a manhã de ontem até o próximo domingo, o acesso de veículos está alterado no Centro Histórico de Salvador, para a realização de obras de recuperação da pavimentação das ruas Saldanha da Gama, do Bispo, Três de Maio e Guedes de Brito, que passam por manutenção após as chuvas que caíram na capital baiana nos últimos meses. Equipes estiveram no local nesta quinta realizando a retirada das pedras e a recuperação das vias.

Por conta das intervenções, o acesso a Igreja de São Francisco está liberado pela Rua da Oração. Além disso, neste período, a via da Praça da Sé está em mão dupla, funcionando como alternativa à circulação de veículos ao Terreiro de Jesus. Agentes de Transalvador estão no local orientando os motoristas quanto aos desvios. A obra está sendo executada pela Diretoria do Centro Antigo de Salvador (Dircas), vinculada à Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder).

Por: Yuri Abreu / Tribuna da Bahia

Facebook Comments