Data de Hoje
21 June 2021

Seguro de carro fica mais caro, mas é possivel economizar até 70%; veja como

Em tempos de crise, as soluções para conseguir baratear a apólice estão numa boa pesquisa de preços e na adoção de outros mecanismos de segurança

Quem tem automóvel, além de ver o preço da gasolina aumentar durante o ano, também deve ter sentido no bolso um acréscimo de 20% a 30% no valor do seguro em comparação  com   o ano passado. A estimativa é de  corretoras de seguros que atuam no mercado baiano ouvidas pelo CORREIO. Em tempos de crise, as soluções para conseguir baratear a apólice estão numa boa pesquisa de preços e na adoção de outros mecanismos de segurança como travas e rastreadores. Um estudo feito pela Proteste Associação de Consumidores aponta que  é possível reduzir o valor do seguro em até 70%  (veja no infográfico abaixo).

E foi justamente uma pesquisa de preço  que fez o administrador Carlos Muhana, dono de um Corolla que renovou o seguro há 15 dias. “A diferença de uma empresa chegou a R$ 2 mil”, conta. O administrador acabou encontrando a melhor oferta na renovação do seguro que já possuía, que deu um bônus com desconto de 40%.

“A pesquisa foi fundamental, até para que eu pudesse correr atrás de um desconto na seguradora que eu já estava”.  A apólice saiu por R$ 2,7 mil. No ano passado, Muhana pagou R$ 2,4 mil.  “Os preços estão realmente muito salgados. A variação de uma seguradora para outra é absurda”, constata.

O levantamento da Proteste levou em conta as cotações de preço nas 12 maiores seguradoras de automóveis, conforme o ranking da Superintendência de Seguros Privados (Susep). Em 2014, o valor do prêmio médio, considerando somente as coberturas de casco e assistência, foi de R$ 1.392,12. O valor é 4,8% superior ao prêmio médio de 2013.

Economia
Segundo o assessor técnico da Proteste Rodrigo Alexandre,  o preço do seguro vai variar  conforme a seguradora e as coberturas que o consumidor tiver interesse.  “O que mais encarece  é o perfil do consumidor e os serviços adicionais. Além disso, quanto maior o risco, maior será o valor do seguro”, explica.

A assessora parlamentar Maiana Brito também não abriu mão de comparar várias seguradoras antes de renovar a proteção do seu Fiat Palio. “Fiz uma boa pesquisa e consegui reduzir o valor do seguro em R$ 700”, relata.

Maiana não pensou duas vezes em trocar de seguradora para reduzir o valor da apólice. “Sempre tive o mesmo seguro, mas mesmo com as bonificações, o valor ainda ficou muito além do que eu podia pagar”. Em outra empresa, o seguro que sairia por R$ 2,5 mil ficou em R$ 1.794. “No fim das contas saiu até abaixo dos R$ 2 mil que havia estipulado gastar”.

Sinistros
Na Bahia, de janeiro a junho deste ano, 3.636 veículos foram roubados (contra 3.159 no mesmo período de 2014, – 13%). O bairro com mais  registros de ocorrências é Itapuã, seguido por Boca do Rio e Brotas. Roubos, furtos e acidentes (sinistralidades) são  fatores determinantes no preço do seguro, como explica a gerente da sucursal da Porto Seguro na Bahia, Meiry Sakaguchi. “O seguro de automóvel no Brasil tem o preço relativo ao risco que representa”.

A disponibilidade de peças para reparos pelo fabricante também interfere muito, como acrescenta o diretor de seguro automotivo da HDI Seguros, Fabio Leme. “As vendas de carros novos estão caindo severamente se comparadas com os anos anteriores, e os valores das peças e da mão de obra estão subindo, com o efeito do aumento da inflação”, ressalta.

Alguns itens que tornam o valor do seguro mais barato
Equipamentos de segurança – Alarmes e travas, por exemplo, podem reduzir o valor do prêmio.
Âmbito territorial Vale verificar na oferta do seguro  a abrangência da cobertura.
Serviços adicionais É preciso avaliar item por item. A tendência é de um valor mais baixo para o seguro quando há menos itens a  proteger.
Cobertura básica  – A Proteste Associação de Consumidores recomenda o pacote básico com a cobertura compreensiva – formada pela a Cobertura de Responsabilidade Civil e de Acidente Pessoal de Passageiros e com o pacote de assistência pessoal 24 horas.
Localização geográfica  De acordo com a região em que se usa o carro (pelas estatísticas de furtos e roubos), pode se pagar mais ou menos.
Bônus – Lembre-se de informar ao corretor qual é a sua classe de bônus, porque ela não é incluída automaticamente e não são todas as seguradoras que explicam isso com detalhes no contrato de prestação de serviços.

Consumidor precisa ficar de olho na apólice e no contrato
Na hora de tentar baratear o seguro, é preciso ficar atento para não acabar comprometendo a cobertura de itens importantes. Segundo o advogado especialista em Direito do Consumidor, Dori Boucault, é necessário, antes de tudo, ler com atenção as propostas e fazer um comparativo. “Parece uma recomendação óbivia, mas muitos problemas poderiam ser evitados se todo mundo lesse e conhecesse muito bem a sua apólice”.

Entre as principais queixas está a demora no retorno da análise em caso de perda total e na extensão da cobertura. “O seguro vai oferecer mil coisas para você não deixar de gastar, mas só contrate o que atende ao seu perfil, sempre de olho nas condições que a empresa oferta”. Sobre as promessas de bônus e descontos, Boucault diz que ainda assim é importante fazer uma boa pesquisa. “Qualquer desconto ou bonificação precisa ficar muito claro no contrato”, enfatiza.

Facebook Comments