Data de Hoje
21 July 2024

Sem apoio do SDD, Wagner chama deputado de “Maria vai com as outras”

Wagner disse que Arthur Maia "é Maria vai com as outras"

No final do mandato o governador Jaques Wagner (PT) decidiu endurecer o tom contra os adversários. O objetivo parece ser claro: rebater as críticas e partir para cima dos opositores, deixando caminho livre para que o pré-candidato escolhido por ele, Rui Costa (PT), possa se apresentar como detentor das propostas de melhorias para a Bahia e concentrar as suas forças apenas no embate positivo, sem precisar rebater as críticas. Em entrevista à rádio Metrópole, na manhã desta sexta-feira, Wagner demonstrou a nova postura ao se referir ao deputado Arthur Maia como “Maria vai com as outras”. A declaração foi feita após o apresentador Mário Kertész citar que Maia já havia elogiado o pré-candidato petista no início do ano e agora brigar com o deputado federal Marcos Medrado, presidente do Solidariedade em Salvador, para que a legenda apoiasse Paulo Souto (DEM).

Wagner também minimizou as críticas de aumento da violência na Bahia, feitas pelo ex-governador e pré-candidato ao Palácio de Ondina, Paulo Souto (DEM). Wagner assumiu que existem problemas de Segurança Pública na Bahia, mas afirmou que “a Segurança é um problema sério em todos os estados da Federação. Eu recebi vários calhambeques, as polícias não tinham coletes a prova de balas. Construímos presídios, meu investimento foi de R$ 16 bilhões e o dele de R$ 6 bilhões. Eu vou sugerir que ele pegue nosso projeto do Pacto pela Vida. O aumento de homicídios no meu período é de 60%, no dele é de 260%. As pessoas mentem e a população precisa saber dos números”, rebateu. “Meu tempo está acabando mas eu me orgulho de sair e deixar a Segurança Pública do jeito que está. (…) A segurança é um problema? É. Mas eu tenho fé que a gente vai vencer essa batalha contra o crime e contra a marginalidade. A população nos julga pela nossa postura frente ao problema”, declarou.

O petista também afirmou que vai assistir aos jogos da Copa do Mundo realizados em Salvador, pediu para que os baianos entrassem no clima da competição e criticou posturas contrárias ao evento. “Pode até se criticar a Copa, mas não fazer um trabalho de baixar a autoestima do povo. A decisão já foi tomada, a Copa está aí. Agora é fazer um grande espetáculo”, concluiu.