Data de Hoje
1 March 2024
Foto: Reprodução

Shows de artistas como Danilo Caymmi e As Ganhadeiras de Itapuã marcam inauguração das novas orlas de Itapuã e Piatã

O coqueiro de Itapuã, a areia de Itapuã e outros símbolos eternizados na voz do cantor e compositor baiano Dorival Caymmi (1914-2008) servem de cenário para uma grande festa que acontece hoje, a partir das 16h, com diferentes atrações umbilicalmente ligadas à região: Danilo Caymmi, o grupo Malê de Balê, a Orquestra de Pandeiros e As Ganhadeiras de Itapuã.

O evento gratuito marca a inauguração das novas orlas de Itapuã e Piatã e o local escolhido para brindar a novidade não poderia ser batizado de outra forma: Praça Dorival Caymmi. O espaço fica em frente à Igreja de Nossa Senhora da Conceição de Itapuã e vai abrigar um palco de oito metros de comprimento e seis de largura para a maratona de shows, que inclui ainda a banda Duas Medidas.

“É um mix para agradar a todo mundo. Temos feito um esforço de convidar a população a reutilizar os espaços públicos e com certeza essa orla de Piatã a Itapuã vai agradar a todos”, garante o presidente da Salvador Turismo (Saltur), Isaac Edington, 52 anos. “A partir de agora, a ideia é que a gente possa incluir esse local na programação cultural da cidade”, completa.

_MG_1332

O cantor carioca Danilo Caymmi representa o pai, Dorival (Foto: Reprodução)

Afetivo A tarde em Itapuã começa com a cerimônia de entrega do trecho de 3, 1 quilômetros da orla, com a presença do prefeito ACM Neto, que segue em cortejo com o  Malê Debalê, às 16h30. Os shows vêm em seguida, com abertura da Orquestra de Pandeiros, às 17h30, e As Ganhadeiras de Itapuã, grupo formado por baianas de acarajé, lavadeiras, costureiras e comerciantes da região.

Uma das atrações mais aguardadas é o cantor carioca Danilo Caymmi, 67, que entra em cena às 18h30. Além de canções autorais, ele resgata sucessos do pai como Saudade de Itapuã, A Lenda do Abaeté e O Que é Que a Baiana Tem. Representante do clã Caymmi, Danilo diz que cantar aqui “é um prazer” e “o público baiano é generoso e participativo”.

“É uma memória afetiva e sensorial também, por causa dos cheiros do sargaço, do mar, do vento… Isso é muito importante pra mim”, acrescenta Danilo, ao lembrar da última vez que seu pai esteve em Salvador. “Ele já não enxergava muito bem, mas sentia os cheiros do mar, do acarajé…”, completa sorrindo.

Serviço: Praça Dorival Caymmi (Itapuã, em frente à Igreja de Nossa Senhora da Conceição de Itapuã). Hoje (23/10), a partir das 16h.

Por Laura Fernandes / A Tarde