Data de Hoje
25 January 2022

STF desarquiva inquérito contra Aécio Neves relacionado a Furnas

Senadores conseguiram reunir há pouco o número mínimo de assinaturas (41) para retirar de pauta o polêmico projeto de lei que, caso seja aprovado, representará o enfraquecimento da Lei da Ficha Limpa. Como este site tem mostrado nas últimas semanas, o projeto foi incluído sem alarde na pauta de votações do plenário e, desde então, tem revoltado parlamentares contrários à matéria – que, graças à reação dos parlamentares, não foi posta em discussão em plenário.

A quantidade de apoiamentos ao requerimento contra a votação do projeto foi assegurado apenas hoje (terça, 20), com a adesão dos deputados do MDB – um dos partidos com mais representantes às voltas com processos criminais. Maior bancada do Senado na atual legislatura, o partido reúne 18 dos 81 senadores.

“Acabamos de conseguir as assinaturas necessárias para a retirada da urgência do projeto que flexibiliza a Ficha Limpa. Agora, o requerimento vai a voto”, registrou há pouco, no Twitter, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que encabelou a coleta de adesões para apresentar o requerimento de retirada de pauta.

Mais cedo, Randolfe havia feito um apelo, na mesma rede social, ao autor do projeto, senador Dalírio Beber (PSDB-SC). “Apelo ao Senador Dalírio Beber (PSDB-SC) para que retire o PLS nº 396, de 2017, para evitarmos graves retrocessos na Lei da Ficha Limpa!”, escreveu o senador do Amapá, incluindo na postagem a hashtag #retiraDalírio.

Facebook Comments