Data de Hoje
7 May 2021
Foto Ascom- vereador Suíca

Suíca faz Moção de aplausos à CBF por pedido de afastamento do comentarista e narrador em falas racistas na partida do Bahia e Napoli

O presidente da Comissão de Reparação e vereador da Câmara Municipal de Salvador, Luiz Carlos Suíca (PT), se manifestou com ato de Moção de aplausos à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), por pedir o afastamento do comentarista e narrador que cometeram atos racistas na transmissão da partida entre Bahia e Napoli, pelo Campeonato Brasileiro de futebol feminino no último domingo (25).

“Quero parabenizar à CBF pela atitude imposta, em pedir o afastamento do narrador Paulo César Ferrarin e do comentarista Edson Florão por fazerem comentários racistas durante a transmissão da partida entre Bahia e Napoli, pelo Campeonato Brasileiro de futebol feminino. Florão fez comentários racistas e pejorativos sobre os cabelos das atletas que atuavam pelo time baiano. Não é mimimi, é racismo e deve ser combatido, não aceitamos mais condutas como essas, o racismo velado está em todas as camadas e medidas ativas para coibir casos de preconceito e descriminação devem ser aplicadas”, declara Suíca.

O parlamentar lembra que o município do Salvador aprovou e sancionou o Estatuto da Igualdade Racial e de Combate ao Racismo Religioso no ano passado. A lei n.º 2.983/2020 é destinada a garantir à população negra a efetivação da igualdade de oportunidades, defesa dos direitos indivíduos, coletivos e difusos, o combate à discriminação e às demais formas de intolerância racial e religiosa.

Já o presidente da Comissão de Cultura da CMS, vereador Sílvio Humberto (PSB) complementa que racismo precisa ser marcado de perto e de forma incansável. “Este não tira férias e nem escolhe lugar. Quero me associar ao vereador Suíca, nessa Moção de Aplausos”, sinaliza Sílvio.

Entenda o caso de racismo no jogo de futebol feminino entre Bahia e Napoli

A transmissão do empate em 2 a 2 entre Bahia e Napoli, pelo Campeonato Brasileiro feminino, foi marcada por um comentário racista na transmissão do MyCujoo e CBF TV. No primeiro tempo, o comentarista Edson Florão destacou os “cabelos exóticos” das jogadoras do time visitante e fez uma comparação das atletas com a cantora Margareth Menezes. Minutos depois, o narrador Paulo Cezar Ferrarin defendeu o comentário do colega após questionamento de um espectador. Segundo o narrador, é muito “mimimi”. Os dois foram afastados das transmissões do Brasileirão feminino.
O narrador Edson Florão foi afastado de suas funções na transmissão do Campeonato Brasileiro feminino pelo MyCujoo e CBF TV após tecer comentários racistas sobre jogadoras da equipe do Bahia no jogo do último domingo contra o Napoli.

Foto reprodução

“(O Napoli) Acaba tendo que rifar a bola, facilitando especialmente o sistema defensivo do Bahia, que está aí com sua vantagem de estatura, com esses cabelos exóticos. Pelo menos uma meia dúzia. A Aline tem o cabelo mais exótico, me parece, dessa equipe do Bahia”, disse.
O comentário de Florão foi endossado pelo narrador Paulo Cesar Ferrarin, que comparou a jogadora à Margareth Menezes.
“Verdade. Eu estava até brincando com esses cabelos. Parecia a Margareth Menezes, da Bahia”. Nas redes sociais, internautas cobraram um posicionamento e uma retratação dos profissionais, no entanto, Ferrarin tratou o caso como um “mimimi” do público. “Ô, Paulo. Que isso? A gente falou, inclusive, está aqui com o pessoal da Bahia a respeito das aparências. Se o Paulo achar que é um comentário xenofóbico comparar as artistas maravilhosas da Bahia, que a gente falou da Margareth Menezes… Poderíamos citar qualquer um. A Daniela Mercury… Outros tantos… Paulão, você está fora da realidade. Elogiar os artistas da Bahia… Realmente é muito mimimi, meu amigo. A gente está elogiando. Talvez você não conheça a Margareth Menezes, o talento dela e tudo o que ela faz na classe artística”.
Por meio de nota, a CBF lamentou o ocorrido e pediu o afastamento dos profissionais, que foi atendido pela plataforma de streaming
“Durante a partida Napoli x Bahia, pelo Brasileiro Feminino A-1, a equipe de transmissão do MyCujoo fez comentários preconceituosos direcionados a atletas do Bahia. A CBF lamenta profundamente o ocorrido e informa que solicitou ao MyCujoo que os profissionais fossem afastados imediatamente das transmissões, o que foi prontamente atendido pela plataforma. Não podemos admitir que o futebol seja palco para esse tipo de comportamento”, informou.

Mara Silvany/ Pernambués Agora

Facebook Comments