Data de Hoje
3 August 2021

Suspeito de balear militares é preso com arma de delegado assassinado

Um homem suspeito de balear dois policiais militares e uma garota de 9 anos no bairro de Tancredo Neves, no mês de maio, foi preso na madrugada desta quinta-feira (10), no bairro do Cabula, em Salvador.

A ação conjunta envolvendo policiais da Operação Apolo, Rondesp Central, 49ª e 37ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), terminou na manhã de hoje com a prisão do homem identificado apenas como “Galego”. Outro suspeito de participação no crime, identificado como “Louco”, morreu em confronto com policiais no distrito de Jauá, em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador.

De acordo com informações da polícia, “Galego” e “Louco” fazem parte de uma quadrilha que domina o tráfico de drogas em Tancredo Neves. No dia 24 de maio deste ano, eles trocaram tiros com policiais militares e atingiram o soldado Hamilton Gomes de Jesus, 44 anos, o sargento Eurípedes Ferreira dos Santos Filho, e uma criança de 9 anos que estava em um ponto de ônibus.

Hamilton foi internado em estado grave na UTI do Hospital Geral Roberto Santos e morreu após permanecer 30 dias internado. O sargento e a garota foram medicados e liberados. Além de Galego e Louco, um terceiro envolvido na ação já havia sido preso.

foto_ilustrativa_Bocão_News

Antônio Fernando dos Santos Filho, conhecido como Da Lua, 34 anos, foi detido por uma unidade das Rondas Rondesp Atlântico, no Parque das Mangabeiras, em Camaçari. Outro envolvido na troca de tiros, Leandro dos Santos Bispo, o Léo Maluco, foi baleado, socorrido para o Hospital Roberto Santos, mas não resistiu aos ferimentos.

Na operação dessa madrugada, os policiais encontraram com Galego uma pistola ponto 40. De acordo com as investigações, a arma pertence ao delegado Eduardo Rafael de Santana Lima, de 35 anos, morto durante uma tentativa de assalto no bairro do Barbalho, em novembro de 2012. Galego foi apresentado na sede do Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), no bairro da Pituba.

Facebook Comments