Data de Hoje
9 March 2021

Taxistas de salvador em pânico por falta de segurança e constantes assaltos

Registros desse tipo de crime tem aumentado nos últimos quatro anos

O 2020 não tem sido fácil para os taxistas de Salvador. Se não bastasse os prejuízos financeiros causados pelo pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e o aumento de profissionais infectados pela doença, a categoria ainda tem que lidar com a crescente violência dos últimos anos.

De acordo com dados da Associação Geral dos Taxistas (AGT), do início de janeiro até esta segunda (15), foram registrados 194 assaltos. O número é o maior dos últimos quatro anos. No mesmo período em 2017 foram 156, em 2018 o total foi de 178 e em 2019 foram 184 casos. Em 2020, a AGT também contabilizou 3 casos de espancamentos, 2 veículos levados por criminosos e quatro assassinatos. A morte violenta mais recente foi confirmada hoje (16). Leandro Prazeres estava internado desde o dia 27 de maio, após ser atingido por três tiros e ter vários pertences levados no bairro de São Cristóvão.

O presidente da AGT, Ademilton Paim, disse  que uma série de propostas sugeridas pela categoria e acatadas pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) ainda não foram atendidas. Entre elas estão: Central 190 exclusiva para taxistas; prioridade no registro do Boletim de Ocorrência (BO) nas delegacias especializadas; liberação mais rápida de veículo roubado; mudança na abordagem policial; celeridade na resolução nos crimes contra taxistas e reunião mensal entre a AGT e prepostos da Polícia Militar e da Polícia Civil. Destes itens, apenas o último estava sendo cumprido, mas desde março não acontecem novos encontros.

Em reposta aos questionamentos da categoria, a SSP informou que as chamadas referentes a crimes contra taxistas são despachadas com prioridade e que as Delegacias são orientadas a dar mais atenção aos registros. Sobre a liberação dos veículos apreendidos, o órgão informou que segue o trâmite determinado por lei. Em relação a abordagem, a Secretaria disse que a PM intensificou as abordagens aos veículos, principalmente quando estão com passageiros. Além disso, a SSP afirmou que as elucidações dos crimes, independentemente das vítimas, são prioridades.

A Secretaria também alegou que no último encontro, as cúpulas da Polícia Militar e Polícia Civil disponibilizaram contatos para demandas das diversas associações de taxistas, dando celeridade aos pedidos e às resoluções.

Varela Notícia

Facebook Comments