Data de Hoje
21 June 2021

Trabalhadores de empresa de bebidas não descartam greve às vésperas da Copa do Mundo

Trabalhadores de empresa de bebidas não descartam greve às vésperas da Copa do Mundo

Foto: Drago Dragonetti / Ambev

 
Promovido pela Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins (CNTA Afins), o 2º Encontro Nacional dos Trabalhadores da Ambev, realizado em Brasília nesta quinta-feira (27), aprovou questões que podem influenciar na produção de bebidas para a Copa do Mundo. Representantes de sindicatos decidiram que a empresa tem até o meado do mês de abril para abrir uma negociação sobre as reivindicações dos funcionários que trabalham na linha de produção das bebidas. Caso contrário, a entidade não descarta possibilidade de greve e de uma campanha de boicote aos produtos da companhia, o que pode prejudicar a produção para o mundial de futebol. Os salários dos trabalhadores da linha de produção variam de R$ 910 a R$ 1,1mil e uma das reivindicações é que o piso nacional passe a ser R$ 1,5 mil. Os sindicatos e as federações também reivindicam a concessão de cestas básicas ou vales-compra, participação do trabalhador no plano de saúde com valor fixo e transparência no programa de participação nos lucros. A CNTA aguarda uma reunião marcada para o próximo mês com a Ambev, quando também deve ser discutido o combate ao elevado número de acidentes e doenças ocupacionais. A empresa informou “que está e sempre estará aberta ao diálogo com os sindicados, as federações e com a Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação”. Disse, porém, que as conversas devem ser de “maneira individualizada", pois acredita que esta seja a melhor forma "de assegurar o tratamento das peculiaridades locais das negociações junto aos sindicatos e aos trabalhadores das suas unidades”. As informações são do Extra
Facebook Comments