Data de Hoje
25 February 2024
Foto: Reprodução

Trânsito volta ao normal na Av. ACM após protesto contra a reforma da previdência

Pistas nos dois sentidos foram liberadas às 9h10 desta segunda-feira (19).

Um grupo de trabalhadores ligados a centrais sindicais bloqueou os dois sentidos da Avenida ACM, uma das mais importantes e movimentadas de Salvador, por quase duas horas na manhã desta segunda-feira (19), em protesto contra a reforma da previdência. A mobilização ocorreu no trecho do Shopping da Bahia. As pistas foram liberadas às 9h10.

O tráfego de veículos nos dois sentidos da avenida foi interrompido por volta das 7h30. O bloqueio causou uma série de transtornos no trânsito por toda a capital baiana.

Pistas da Avenida ACM liberadas (Foto: Juliana Almirante/G1)

Para quem saía da região da Pituba no sentido Avenida Paralela, por exemplo, enfrentou um longo congestionamento desde a altura do Hospital Teresa de Lisieux. Dali, um pouco mais à frente, a Transalvador desviou o tráfego da Avenida ACM para a Pituba, na altura do Hiperposto. Isso para evitar que os condutores chegassem ao trecho do Shopping da Bahia, onde havia o bloqueio.

Além do fechamento do trânsito, os rodoviários que participaram da manifestação estacionaram os ônibus do lado direito da Av. ACM, na via exclusiva dos coletivos.

Segundo Hélio Ferreira, presidente do Sindicato dos Rodoviários, os integrantes da categoria que aderiram ao movimento e paralisaram as atividades no início da manhã voltaram a trabalhar por volta das 9h10. Segundo ele, com isso, o transporte voltou ao normal na cidade.

Ainda conforme o sindicato, os locais afetados pela paralisação parcial da categoria foram a região do Iguatemi e da Avenida Paralela.

Houve ainda longos engarrafamentos saindo da Av. Bonocô com sentido à Av. ACM, no sentido inverso, e também entre o bairro do Itaigara, sentido Shopping da Bahia.

O presidente da CTB na Bahia, Pascoal Carneiro, disse que participaram deste ato, além da CTB, a CUT, a Frente Brasil Popular, e a CSP Com Lutas. “O ato é contra a reforma da previdência e a intervenção militar no Rio de Janeiro”, disse ao G1.

Segundo o representante da CTB, o protesto contou com adesão dos rodoviários, professores ligados à APLB, trabalhadores da construção civil, servidores públicos municipais, comerciários, entre outros. Ele disse ainda que a CTB organiza um novo ato semelhante às 15h no Campo da Pólvora, em Salvador.

Por G1