Data de Hoje
31 July 2021

Trio suspeito de roubar e balear PM é morto no Alto do Cabrito

Três jovens suspeitos de roubar e balear o capitão da reserva da Polícia Militar Adelmo Pereira Cardoso, de 52 anos, na manhã desta quinta-feira, 29, em Marechal Rondon, foram assassinados horas depois, no Alto do Cabrito, no Subúrbio Ferroviário de Salvador. O PM foi baleado no rosto e levado ao Hospital do Subúrbio e, em seguida, transferido para a COT. Ele não corre risco de morte. Alexandre Sousa Ferreira, 23, e Lucas Sulino França, 22, foram executados a tiros na Travessa do Caju, próximo à Escola Estadual Tereza Helena Mata Pires. Já o amigo deles, David de Sousa Porto, morreu no Hospital do Subúrbio, após ser resgatado por PMs dentro do Chevrolet Corsa preto (NYL – 3076), na rua Antônio Carvalhal, a 1 km da rua onde os amigos foram mortos. Eles colidiram o carro na garagem de uma residência, ao serem perseguidos por um homem, ainda não identificado, segundo algumas testemunhas. O veículo pertence ao irmão de David.

Conforme o delegado Líbio Otero, do Departamento de Homicídios (DHPP), populares disseram que o trio estava praticando roubos no Alto do Cabrito e bairros vizinhos. Durante a perícia, foram encontrados no carro diversos cartões de crédito e vários documentos, todos em nome de terceiros. “Tem duas versões: Primeiro, depois de baterem o carro, eles [Alexandre e Lucas] saíram correndo para cá [Travessa do Caju] e, quando foram alcançados, se renderam e deitaram no chão. Mas, mesmo assim, foram mortos. A outra é que eles foram trazidos para cá e executados”, contou um policial, sob anonimato. Suspeitos de envolvimento com o tráfico da região foram presos após ação que buscava os criminosos  (Foto: Margarida Neide l Ag. A TARDE) Chefão preso No final da tarde, policiais militares do Batalhão de Choque e da 9º CIPM (Pirajá) e investigadores do Serviço de Investigação (SI) da 4ª DT (São Caetano) realizaram uma operação em Marechal Rondon na tentativa de prender os suspeitos de balear o capitão da PM e recuperar a arma dele, uma pistola calibre .40. Durante a ação, eles conseguiram prender Carlos Souza de Oliveira, 22, o Carlinhos, líder do tráfico de drogas da rua Vila Lobos e da localidade do Inferninho, ambas em Marechal Rondon, segundo a polícia. O braço direito dele, Gilvan Correa Silva, 23, o Neguinho, também foi detido. Com eles, foram apreendidos dois revólveres calibre 38, 328 dolões de maconha, 1, 75 kg de maconha, 61 papelotes de cocaína, 237 pedras de crack, além de R$ 49 em espécie.

Drama familiar

Segundo a polícia, a dupla não participou do roubo contra o PM. Conforme um policial civil, Carlinhos assumiu o tráfico no Inferninho após matar os rivais Sávio, conhecido como Nerd, e Zero 2. De acordo com a comerciante Débora Procópio de Sousa, 41, o irmão, Alexandre, trabalhava vendendo peixe e estava respondendo por roubo. Ela afirmou que, no final de 2016, ele foi preso por roubo. “Ele foi lá em casa hoje de manhã, deixou a chave da casa dele e saiu. Não disse para onde iria. Ele estava trabalhando, ia todo mês assinar [audiência judicial]”, contou a mulher. Familiares de Lucas também acompanharam o levantamento cadavérico, mas não quiseram falar com a reportagem. Parentes de David não foram localizados. Os rapazes eram amigos de infância e moravam em Plataforma.

Facebook Comments