Data de Hoje
2 December 2021

Vídeo de sexo dentro de loja em Pequim se torna viral e irrita governo da China

Imagens começaram a circular na terça-feira (14) e foram vistas por milhões de pessoas

Um vídeo de um casal fazendo sexo dentro de uma loja em Pequim, na China, vazou na internet na última terça-feira (14) e já foi visto por milhões de pessoas.

Segundo informações do jornal ‘The Guardian’, as autoridades chinesas se irritaram com o ocorrido e classificaram as imagens como um “golpe contra os valores centrais do socialismo do país”.

De acordo com o ‘The Guardian’, o vídeo de um minuto mostra um homem de óculos e uma jovem de cabelos longos fazendo sexo diante de um espelho, dentro do provador de uma filial da rede japonesa de lojas de roupas Uniqlo.

A loja está localizada em Sanlitun, um bairro badalado da capital chinesa, cheio de bares e lojas de grifes internacionais.

Segundo informações do jornal, o vídeo se propagou rapidamente em plataformas chinesas como WeChat e Weibo, que funcionam de forma similar ao WhatsApp e ao Twitter, respectivamente.

Sites chineses afirmam que já identificaram o casal que aparece no vídeo. O rapaz seria Houtian Xu, e até mesmo seu número de telefone já se tornou público. Já a jovem seria Yu Yi. De acordo com os sites, como o m.6park.com, os dois estudam administração de empresas na Universidade União de Pequim.

Jogada de marketing

A repercussão do caso fizeram com que a Unqlo reagisse. “Gostaríamos de lembrar ao público que defenda a moralidade social e utilize nossas salas de prova de maneira correta e adequada”, disse a loja em comunicado, negando rumores de que teria produzido o vídeo como um golpe de marketing.

Embora a Uniqlo tenha oficialmente negado que o vídeo é parte de uma campanha de marketing, o caso produziu bons resultados para a rede chinesa. As ações da empresa na bolsa de Hong Kong tiveram alta de 5%.

Censura
A viralização do vídeo deixou os censores da internet do país bastante ocupados.

Ao jornal ‘Global Times’, Xu Feng, diretor da Administração do Ciberespaço na China, comentou o caso. “O vídeo vulgar se espalhou como um vírus on-line e entrou em confronto com os valores socialistas centrais”, disse Xu Feng.

A polícia de Pequim está investigando quem seria o responsável por compartilhar o vídeo na internet, assim como quem seriam os dois envolvidos no ato sexual. “O governo pretende continuar a coibir materiais vulgares on-line e a proteger o meio ambiente cibernético”, garantiu Feng.

Piadas
Em comunicado, o controlador da internet em Pequim alegou que “os usuários chineses da internet estão muito preocupados e condenam veementemente os atos”. No entanto, segundo informações do The Guardian’, a reação geral dos usuários foi de prazer, não de desgosto.

Piadas se espalharam nas redes sociais chinesas, incluindo uma paródia que mostra uma foto de um aviso supostamente afixado em um provador da Harrods, uma loja de departamento de luxo em Londres.

Facebook Comments