Data de Hoje
23 October 2021
Foto: Divulgação/Urbes

Vistoria do transporte escolar prossegue até o dia 4

Os condutores de vans escolares têm até o próximo dia 4 para fazer a vistoria semestral dos veículos. A inspeção começou a ser realizada nesta segunda-feira, 22, na sede da Coordenadoria de Táxi e Transportes Especiais (Cotae), da Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob), no Vale dos Barris.

Pelo menos mil veículos devem passar pelo procedimento, que custa R$ 74,99, sob risco de os proprietários pagarem multa no valor de R$ 41,19, caso não cumpram o prazo. Durante a vistoria, é avaliada a situação documental dos veículos, assim como as condições dos itens de segurança.

Cerca de 100 atendimentos devem ser realizados por dia, conforme agendamento prévio feito pela Semob. Já os proprietários que ainda não tiverem marcado a inspeção devem ir ao órgão, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 11h30 ou das 13h às 16h30.

Há nove anos no mercado, a permissionária Viviane Sena, 41, resolveu antecipar o procedimento, mesmo sem agendamento. Dona de uma escola no bairro IAPI, ela apostou na oferta do transporte gratuito como um diferencial para atrair os pais dos alunos.

“Vim logo fazer a vistoria, pois, se for preciso fazer algum ajuste, a gente realiza logo o serviço para não ter problema”, disse. “É preciso ter muita responsabilidade, paciência e, sobretudo, amor para transportar crianças. Quem o fizer só pelo dinheiro não vai ter sucesso”, concluiu.

Chefe de vistoria da Coordenadoria de Táxi e Transportes Especiais (Cotae), Cledson Nogueira afirma que os principais itens observados durante a vistoria são: higiene, estado de conservação do veículo, condições de tráfego, controlador de velocidade (tacógrafo) e regularidade dos equipamentos de segurança.

“Além da parte documental, é preciso que estejam em dia com itens indispensáveis na segurança, como pneus, extintores e a parte elétrica, por exemplo”, enumerou. “Caso haja irregularidades, os transportadores são reprovados e recebem um prazo para fazer os ajustes”, explicou Nogueira.

Segurança

Presidente do Sindicato dos Transportadores Escolares e Turísticos do Estado da Bahia, Simone Rosas convoca os condutores a realizar as vistorias de imediato, como forma de fazer frente aos que fazem transporte escolar clandestino: “É importante que o transportador legalizado faça logo a inspeção, para que possa trabalhar mais tranquilo”.

“Quero alertar os pais para escolher o caminho correto, em vez de buscar um transporte mais barato que não zela pela segurança de seus filhos”, acrescentou.

Questionada sobre o uso das cadeirinhas nos veículos, ela lembrou que a fiscalização está suspensa até o ano que vem. “Os modelos existentes no mercado não são adaptados aos veículos. A fiscalização foi suspensa, temporariamente, mas vamos lutar por uma decisão definitiva”, pontuou.

Por A Tarde
Facebook Comments